equipe ims - alice sant'anna

As escritas de Victor Heringer

Carioca vivendo em São Paulo, Victor Heringer comenta suas produções em prosa e poesia, além de ler trechos do poema longo que tem escrito. Como romancista, ele foi segundo lugar no Prêmio Jabuti do ano passado e está criando outro livro.

jazz

Cortázar, o escritor mais jazz

Julio Cortázar era apaixonado pelo jazz, e a música percorre "O jogo da amarelinha" e outros livros seus. O escritor argentino, cujo centenário se completa em 2014, é lembrado por Reinaldo Figueiredo neste programa com Louis Armstrong, Charlie Parker, Thelonious Monk e outros.

seleções

Músicas para dançar e esquentar o inverno

A discografia brasileira tem bons exemplos de grandes orquestras (Tabajara, Silvio Mazzuca, Waldir Calmon e outras) que levaram décadas de casais para o meio da pista. Joaquim Ferreira dos Santos fez uma playlist dessas big bands para a temporada.

documentários /
Música de protesto

A mosca desbundada

A Censura proibia qualquer discurso político, e os compositores inventaram saídas para falar do país. Chico Buarque transformou-se no Julinho da Adelaide. No quinto capítulo da série, Ronaldo Bastos, do Clube da Esquina, explica o criativo protesto dos anos 1970.

A felicidade

Hoje completam-se seis anos de saudade da cantora Zezé Gonzaga, que começou a carreira em 1942 como caloura do programa de Ary Barroso na Rádio Tupi do Rio de Janeiro. Eis aqui a gravação dela para "A felicidade", de Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

grade de programação

programas mais recentes
destacados em vermelho

destaques

clássico

Coisa de cinema

Arthur Dapieve apresenta em seu programa belos exemplos de música escrita para o cinema por compositores clássicos, que às vezes nem percebemos como sendo clássicos. São os casos de Ennio Morricone, Toru Takemitsu, Eleni Karaindrou e Patrick Doyle.

intérpretes

Ro Ro, tipo camicaze, louca samurai

Zélia Duncan diz que a coisa ficou grave em seu novo programa. E rouca também. Angela Ro Ro é a voz da vez. Estão aqui a cantora de "Simples carinho", "Demais" e outras; a compositora de "Mares da Espanha", "Amor, meu grande amor" e muitas mais. "Amy Winehouse é a filha que eu nunca tive", já disse Ro Ro.

equipe ims - bia paes leme

Suíte Retratos, 4º movimento - Chiquinha Gonzaga

Na série dedicada à suíte Retratos, Bia Paes Leme explica o quarto movimento, feito por Radamés Gnattali a partir do "Corta-jaca", de Chiquinha Gonzaga. O programa traz duas versões do "Corta-jaca" e Jacob do Bandolim tocando a peça de Radamés.

documentários /
Música de protesto

Vozes da periferia

As vozes da periferia aparecem na história da música de protesto a partir dos anos 1990, quando grupos como Racionais MC's (foto) e O Rappa lançaram seus primeiros discos sobre o preconceito e a violência nos subúrbios. O jornalista Silvio Essinger explica o fenômeno a Joaquim Ferreira dos Santos.

os batutas

Gordurinha

Gordurinha era, para parte da crítica, apenas um "cantor gaiato", mas conquistou sucesso e respeito com músicas importantes como "Chiclete com banana" e "Vendedor de caranguejo". O baiano é o tema deste Os Batutas.

documentários /
Música de protesto

O rock de combate

Antes, com a ditadura, era mais fácil identificar o bem e o mal, e tomar partido. Com a democracia dos anos 1980, o rock de combate escolheu como inimigos a violência policial, os políticos corruptos, as injustiças sociais. Tony Bellotto, dos Titãs, estava lá e conta a Joaquim Ferreira dos Santos como foi a história da música de protesto na década. É o sexto capítulo da série.

instrumental brasileiro

Amilton Godoy e a música de Léa Freire

Ricardo Silveira apresenta em seu programa o CD "Amilton Godoy e a música de Léa Freire", um trabalho de piano solo do líder do Zimbo Trio sobre temas da compositora.

a canção no tempo

1971

Caetano Veloso ainda estava no exílio em Londres quando compôs para Roberto Carlos "Como dois e dois", retribuindo a homenagem a ele feita pelo Rei com "Debaixo dos caracóis dos seus cabelos". Esses e outros sucessos marcaram 1971.

documentários /
Música de protesto

Pra não dizer que não falei de festivais

Enquanto os estudantes faziam passeatas nas ruas, os artistas da nova MPB ocupavam os festivais da TV com protestos ora sofisticados, ora panfletários. Geraldo Vandré foi o mais representativo do período, tema do quarto capítulo da série. Joaquim Ferreira dos Santos conversa com o jornalista Hugo Sukman.

equipe ims - paulo roberto pires

Livro sem papel

Paulo Roberto Pires avisa: "Gostar de livro até traça gosta". Em seu podcast, o jornalista e escritor se ampara numa pesquisa para reforçar o valor dos ebooks e e-readers, criticar o fetiche do papel e defender que o importante mesmo é ler.

seleções

Canções juninas

Apesar da concorrência com a Copa, está na época de comemorar Santo Antônio, São João e São Pedro. A Batuta apresenta uma seleção de músicas para as festas juninas.

literatura em voz alta

Atletas

Paulo Mendes Campos exalta na crônica "Atletas" a força interior do arremessador de peso Parry O'Brien (foto) e "a mais bela, a mais solitária, a mais cruel" modalidade de atletismo, o salto em altura. Quem lê a crônica é seu filho, Daniel Mendes Campos.

documentários /
Música de protesto

Pega, mata e come

O rótulo "música de protesto" nasceu com a geração de Carlos Lyra, Sergio Ricardo, Nara Leão e Edu Lobo. Em meados dos anos 1960, eles usaram canções, da bossa nova aos ritmos nordestinos, para conscientizar o povo contra os militares no poder.

documentários /
Música de protesto

Os pioneiros

A música brasileira sempre fez seu protesto, embora nem sempre com esse rótulo. A insatisfafação já estava nas antigas marchinhas e nos que usaram a seca nordestina como tema, caso de Luiz Gonzaga. O pesquisador Jairo Severiano analisa os pioneiros do protesto com Joaquim Ferreira dos Santos.

seleções

Chico 70 anos - por Armando Freitas Filho

Armando Freitas Filho, um dos principais poetas brasileiros contemporâneos, encerra a série "Chico 70 anos", de homenagem ao compositor, com uma lista que inclui "Apesar de você", "Passaredo" e "Sinhá".

documentários /
Música de protesto

As canções de junho de 2013

Os protestos de junho passado foram acompanhados por uma grande produção musical, veiculada principalmente nos meios digitais. Um apanhado delas abre o documentário de sete episódios da Batuta, dirigido por Joaquim Ferreira dos Santos, sobre a canção de protesto no Brasil. Sobrou até para Neymar.

seleções

Chico 70 anos - por Carlos Lyra

Carlos Lyra situa Chico Buarque entre os maiores letristas do mundo, ao lado de Cole Porter, Stephen Sondheim e poucos outros. Escolheu para a série "Chico 70 anos" músicas que não estão entre as mais notórias do compositor, como "Maninha", "Sob medida" e "A noiva da cidade".

seleções

Chico 70 anos - por Nuno Ramos

Nuno Ramos escolheu, por acaso, cinco músicas dos anos 1970 como suas favoritas de Chico Buarque para a série "Chico 70 anos", da Batuta. O artista plástico e escritor pediu que a versão de "Morena dos olhos d'água" fosse com Caetano Veloso. "Bárbara" e "Pedaço de mim" também estão na lista.

seleções

Chico 70 anos - por Clarice Falcão

Clarice Falcão fez uma lista original de músicas para a série "Chico 70 anos". "Dueto", "Lola", "Sentimental" e "Tango do covil", por exemplo, estão longe de ser das canções mais lembradas do compositor.

seleções

Chico 70 anos - por Tostão

Tostão, craque da Copa de 1970 e hoje colunista de futebol, foi o convidado da Batuta que escolheu um número maior de músicas para a série "Chico 70 anos": oito, entre elas "Olhos nos olhos", "João e Maria" e "Valsinha".

seleções

Chico 70 anos - por Marília Gabriela

Marília Gabriela foi a única convidada da série "Chico 70 anos" a escolher "Beatriz" como uma de suas canções favoritas. As outras quatro de sua lista também são de amor, inclusive "O meu amor", da "Ópera do malandro".

seleções

Chico 70 anos - por Cacá Diegues

O cineasta Cacá Diegues pôs na sua lista de músicas favoritas de Chico Buarque duas que o compositor fez para filmes seus: "Joana Francesa" e "Bye bye Brasil". As outras duas são sucessos do artista quando jovem.

seleções

Chico 70 anos - por Adriana Calcanhotto

Adriana Calcanhotto não achou difícil escolher cinco músicas de Chico Buarque para a série da Batuta pelos 70 anos do compositor. "É totalmente impossível", disse. Enviou seis, incluindo a surpresa "A foto da capa".

seleções

Chico 70 anos - Por Luis Fernando Verissimo

Luis Fernando Verissimo escolheu quatro canções como suas favoritas de Chico Buarque e acrescentou um quinto título: "todas as outras". Duas parcerias com Edu Lobo, "Sobre todas as coisas" e "A moça do sonho", estão na lista.

seleções

Chico 70 anos - Por Fernanda Torres

A atriz e escritora Fernanda Torres é a primeira das dez pessoas convidadas pela Batuta para escolher suas canções favoritas de Chico Buarque, que completa 70 anos no dia 19. Ela abriu sua lista com "Desalento". Veja quais são as outras.

documentários

Lúcio Rangel e o jazz

O documentário de João Máximo sobre Lúcio Rangel se encerra com a paixão do crítico e pesquisador pelo jazz, embora fosse um defensor radical da música brasileira. Os pioneiros, como Louis Armstrong e seu Hot Five (foto), eram seus favoritos.

documentários

Lúcio Rangel e o choro

Lúcio Rangel considerava o choro um irmão do samba. Sua admiração pelo gênero, como mostra João Máximo no terceiro episódio do documentário, começava por Pixinguinha, a quem considerava a maior figura da música brasileira.

documentários

Lúcio Rangel e o samba 2

No segundo capítulo do documentário sobre Lúcio Rangel, João Máximo mostra os cantores preferidos do crítico, como Sílvio Caldas, Elizeth Cardoso (juntos na foto), Aracy de Almeida e Moreira da Silva.

documentários

Lúcio Rangel e o samba 1

O crítico e pesquisador Lúcio Rangel, cujo centenário se completa neste ano, era um profundo conhecedor e amante de samba, choro e jazz. O primeiro dos quatro capítulos do documentário realizado por João Máximo é sobre os compositores de samba preferidos de Lúcio, como Sinhô, Cartola e Noel Rosa.

equipe ims - bia paes leme

Suíte Retratos, 3º movimento - Anacleto de Medeiros

No novo programa dedicado à suíte Retratos, composta por Radamés Gnattali e gravada por Jacob do Bandolim, Bia Paes Leme apresenta e explica o terceiro movimento, dedicada a Anacleto de Medeiros, um dos grandes nomes do choro.

equipe ims - bia paes leme

Suíte Retratos, 2º movimento - Ernesto Nazareth

No segundo programa dedicado à suíte Retratos, que está completando 50 anos, Bia Paes Leme mostra como Radamés Gnattali se baseou em "Expansiva", de Ernesto Nazareth, para compor o movimento dedicado às valsas.

equipe ims - bia paes leme

Suíte Retratos, 1º movimento - Pixinguinha

Gravada há 50 anos, a suíte Retratos, de Radamés Gnattali, é analisada pela coordenadora de música do IMS, Bia Paes Leme, que inicia uma série dedicada à composição. Neste programa, o movimento dedicado a Pixinguinha é o tema.